Câmara Municipal de São Luiz do Paraitinga
São Luiz do Paraitinga
Página Inicial
Câmara Municipal
Dados Demográficos
Galeria de Fotos
Hino Municipal
 
Audiências Públicas
Calendário
Comissões Licitações
Comissões Permanentes
Concursos Públicos
Ex-Presidentes
Informativos
Links
Mesa Diretora
Organograma
Perguntas e Respostas - FAQ
Vereadores
Vídeos
Localização
Fale Conosco
 
Pautas
Atas
Pautas S. Extraordinárias
Pautas S. Ordinárias
Presença nas Sessões
Projetos de Leis em Tramitação
Sessões Solenes
Votações S. Extraordinárias
Votações S. Ordinárias
 
Legislação
Decretos Legislativos
Lei Orgânica
Leis Municipais
Plano Diretor
Regimento Interno
Resoluções Municipais
 
Transparência
Contas dos Exercícios Anteiores
Contratos
Dispensa
Julgamentos e Pareceres Prévios das Contas do Poder Executivo
Licitações
Ouvidoria
Portal da Transparência
Portaria
Recursos Humanos
Viagens
SIC - Serviço de Informação ao Cidadão
Transparência Municipal
 
 
Câmara dos Deputados
 
Senado Federal
 
Portal da Transparência
 
Portal do Cidadão
 
 
SÃO LUIZ DO PARAITINGA

 

O Capitão Vieira da Cunha e João Sobrinho de Moraes alegaram pretender povoar a região dos sertões da Paraitinga e, por isso, receberam do Capitão de Taubaté, Felipe Carneiro de Alcaçouva e Souza as primeiras sesmarias da então Vila de Guaratinguetá, que havia explorado todo aquele sertão, apresentou ao Governador, capitão-general D. Luís Antônio de Souza Botelho Mourão, um requerimento em que vários povoadores lhe pediam para fundar junto ao Rio Paraitinga e entre Taubaté e Ubatuba, uma nova povoação.

A 2 de Maio de 1.769 essa petição foi deferida, recebendo a povoação o nome de São Luiz e Santo Antônio do Paraitinga, sendo a padroeira Nossa Senhora dos Prazeres. No dia 8 de maio de 1.769 o sargento mor Manoel Antônio de Carvalho foi nomeado fundador e governador da nova povoação.
Um incentivo do governador geral estimulou a mudança de mais gente para o local que foi elevada à Vila em janeiro de 1.773, instalada a 31 de Março do mesmo ano. A Vila teve rápido progresso de início, mas depois veio a estacionar na cultura dos cereais e só muito mais tarde se deu início à plantação de café e algodão. Por lei provincial a 30 de Abril de 1.857 foi elevada a categoria de cidade e por título de 11 de junho de 1.873 obteve a denominação de “Imperial Cidade de São Luiz do Paraitinga”.

Transforma-se em Estância Turística a cidade de São Luiz do Paraitinga (Aprovado pela Lei Estadual nº 11.197 de 5 de julho de 2002).

ORIGEM DO NOME Paraitinga é o nome do Rio onde, desde os tempos dos Bandeirantes havia um posto avançado por onde passavam o café e o ouro mineiro. Ao ser fundada a povoação em 1.769, o nome foi São Luís e Santo Antônio do Paraitinga, sendo mudado depois para São Luiz do Paraitinga, quando o padroeiro passou a ser São Luiz, Bispo de Tolosa.

PARAHYTINGA – De origem indígena: Da língua Tupi-Guarani – “Águas Claras”

O Vale do Paraíba no século XVII era passagem de bandeirantes e tropas que se dirigiam a Ubatuba pela “Trilha dos Tamoios”. Muitos viajantes paravam, às margens do Rio Paraitinga, para descansar da viagem às Minas Gerais, trazendo cargas e ouro que seriam despachados para a Europa.

Em 5 de março de 1688, foram concedidas, nos sertões do Paraitinga, as primeiras sesmarias requeridas ao capitão-mor de Taubaté, Felipe Carneiro de Alcaçouva e Sousa, pelo Capitão Mateus Vieira da Cunha e João Sobrinho de Moraes, que desejavam povoar a região.

Em consequência da decadência da mineração em Minas Gerais e pela necessidade de ocupar as terras e acrescer a produção agrícola da região, o Governador da Capitania de São Paulo, D. Luiz Antônio de Souza Mourão, conhecido por Morgado de Mateus, autorizou a fundação de uma povoação, junto ao Rio Paraitinga e entre Taubaté e Ubatuba, tendo o centro urbano todo planejado.

A 2 de maio de 1769, a povoação recebeu o nome de São Luís e Santo Antônio do Paraitinga, tendo como padroeira Nossa Senhora dos Prazeres. E em 8 de maio, o Sargento Manuel Antônio de Carvalho foi incumbido de fundar e governar a nova povoação. O fundador era devoto de Nossa Senhora dos Prazeres, que passa a ser padroeira do povoado.

Em 31 de março de 1773, devido a um incentivo do governador geral, que estimulou o agrupamento de novos moradores na localidade, a povoação foi elevada à categoria de vila. Em 1774, o registro de habitantes é de 800 pessoas.

Os primeiros habitantes eram famílias sem bens; dessa forma, dedicaram-se à agricultura de sobrevivência. A Vila São Luís e Santo Antônio do Paraitinga estacionou na cultura de cereais por muitos anos, até dar início à plantação de café e algodão.

A região do Paraitinga também participou do período de abastança regional, o ciclo do café em 1830 modificou a economia local, propiciou a expansão e o acúmulo de riquezas dos proprietários rurais mais abastados. No entanto, os agricultores continuaram a produzir milho e feijão.

O século XIX caracterizou São Luiz do Paraitinga como “Celeiro do Vale” por ter se dedicado à agricultura de feijão, cana, milho e mandioca, enquanto o resto do estado priorizava a cultura do café. A variedade dos gêneros produzidos e a boa localização geográfica faziam da cidade um centro agitado pelas tropas, com estabelecimento de ferreiros e comerciantes que viviam em função da circulação de pessoas.

Pela lei provincial, a 30 de abril de 1857, São Luiz do Paraitinga foi elevada à categoria de cidade e, por título de 11 de junho de 1873, com a visita de Dom Pedro II, obteve a denominação de “Imperial Cidade de São Luís do Paraitinga” e o Coronel Manoel Jacinto Domingues de Castro recebe o título de Barão do Paraitinga.

A partir do século XIX, como reflexo do período produtivo e a atração de pessoas para a cidade, iniciam-se as preocupações com as obras públicas, a construção da Casa da Câmara, da Cadeia e da nova matriz; em alguns trechos, as ruas são calçadas com pedras, acontecem o desenvolvimento do loteamento urbano e a transformação das primeiras construções (os casarões dos senhores rurais foram ornamentados, devido à melhora da situação econômica).

São Luiz do Paraitinga abrigou uma das primeiras fábricas têxteis do Estado de São Paulo, a Fábrica de Tecidos Santo Antônio, com 25 teares movidos por turbina d’água e 40 operários que trabalhavam a produção algodoeira de 450 toneladas, em 1888.

Com o depauperamento do solo e a destruição da vegetação natural ocasionada pela intensa atividade agrícola, a cidade ficou reduzida às relações locais de subsistência. As novas atividades eram a fabricação de rapadura, a casa de farinha e a produção de aguardente, que sustentavam o comércio regional.

No início do século XX, o município passa contar com a pequena produção de policulturas e a pecuária leiteira, até hoje uma das principais fontes de renda do luizense.

O período áureo será relembrado a partir de 1920, na alteração dos nomes das ruas, que passam a fazer referência às famílias privilegiadas, compostas por importantes fazendeiros de café.

Enchente 2010

Com base em informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a enchente na virada de 2009 para 2010 foi o resultado de diversos fatores.

Os primeiros sinais começaram ainda no último inverno que, ao contrário de anos anteriores, foi muito chuvoso, tanto que à época foram registradas poucas queimadas. E um fato muito raro, o Rio Paraitinga começou a transbordar ainda no mês de outubro.

Com isso, a terra foi ficando muito encharcada, não permitindo a absorção de mais água. No final do ano passado, a toda chuva que caía, em vez de uma parte penetrar no solo, todo o volume acabava desaguando no Paraitinga. Em dezembro de 2009, o índice de precipitação de chuvas na região foi de 605 milímetros, quando o normal para o mês varia entre 150 e 200 milímetros.
Somente no dia 31 de dezembro choveu 200 milímetros, isto é, em um único dia, caiu mais água do que era esperado para todo o mês de dezembro.

Foi tanta a precipitação de água que na cidade de São Luiz o rio subiu cerca de 12 metros, provocando a maior tragédia da história do município.

Confira algumas fotos:

São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga São Luiz do Paraitinga

 


Este Legislativo Municipal oferece através deste site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol do Município.
Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos Vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso às diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar ampla transparência aos trabalhos realizados.
As sugestões, reclamações, elogios e pedido de informações, além de poderem ser encaminhados através do link E-SIC, também podem ser solicitados pessoalmente, por telefone, por carta, por e-mail (contato@camarasaoluizdoparaitinga.sp.gov.br) ou através do link Fale Conosco.
Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

Câmara Municipal de São Luiz do Paraitinga

Endereço: Rua do Carvalho, 285 - Bairro Benfica - São Luiz do Paraitinga/SP - Brasil - CEP: 12140-000
Clique aqui para acessar o mapa

Telefone: (12) 3671-1699 / 3671-1163

E-mail: contato@camarasaoluizdoparaitinga.sp.gov.br ou comunicacao@camarasaoluizdoparaitinga.sp.gov.br

Horário de Atendimento:
De segunda à sexta, das 08h00min às 17h00min.